segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Cemig abre inscrições para Seminário Estratégias para Conservação de Peixes

Imagem Cemig
A Cemig, por meio do Programa Peixe Vivo, promove, nos dias 19 e 20 de novembro, no auditório do curso de Engenharia da UFMG, o 4° Seminário Estratégias para Conservação de Peixes em Minas Gerais. Os interessados devem fazer a inscrição até a próxima sexta-feira (14/11) no site http://www.biodiversitas.org.br/seminariopeixes2014.

No seminário serão apresentados painéis, com palestras nacionais e internacionais, que vão debater os seguintes temas: Desenvolvimento do Índice de Integridade Biótica para Avaliação da Qualidade Ambiental de Bacias Hidrográficas, como subsídio para programas de conservação mais eficientes; Avaliação de Risco de Morte de Peixes em Empreendimentos Hidrelétricos e Novas Metodologias para Redução de Impactos da Operação de Usinas sobre os Peixes.

A coordenadora do Programa Peixe Vivo da Cemig, Raquel Loures, ressalta o papel da sociedade na busca de soluções. "É muito importante aproximar a população do problema, para que tenha conhecimento de que essa é uma questão que diz respeito a todos nós", afirma.

Além da Cemig, o Seminário conta com a parceria dos consórcios das usinas hidrelétricas Baguari, Capim Branco, Funil, Igarapava, Rosal e Sá Carvalho e a colaboração da Fundação Biodiversitas.

Peixe Vivo
A Cemig é uma referência na economia global, sendo reconhecida por sua atuação sustentável. Há 15 anos consecutivos, faz parte do Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI World), mantendo-se como a única empresa do setor elétrico da América Latina a integrar esse índice desde a sua criação, em 1999.

Raquel Loures destaca o papel do programa Peixe Vivo no que diz respeito à atuação da Companhia na conservação dos peixes: "O programa da Cemig tem apoiado projetos de pesquisa que visam entender como se comportam os peixes e suas relações com o ambiente das bacias onde ela possui empreendimentos. Uma vez que conheçamos aspectos ecológicos e comportamentais, será possível propormos medidas de preservação mais  eficientes dessas espécies", explica.

Lançado em 2007, o Peixe Vivo tem como missão minimizar o impacto sobre a ictiofauna buscando soluções e tecnologias de manejo que integram a geração de energia elétrica pela Cemig com a conservação das espécies de peixes nativas, promovendo o envolvimento da comunidade. Para isso, tem desenvolvido soluções e tecnologias de manejo beneficiando as comunidades que utilizam os recursos hídricos como fator de desenvolvimento.

Atualmente, são 11 projetos científicos desenvolvidos em parceria com instituições de pesquisa e o envolvimento de estudantes e pesquisadores, que já resultaram em mais de 170 publicações técnicas. Esses resultados acadêmicos, juntamente com o envolvimento da comunidade, buscam criar programas de preservação mais eficientes e práticas que permitem a coexistência de usinas e peixes nos rios brasileiros. Já foram investidos aproximadamente R$ 32 milhões no Peixe Vivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário