segunda-feira, 9 de março de 2015

Cemig alcança meta de tempo de interrupção e melhora no ranking da Aneel


O tempo de interrupção de energia dos 8 milhões de consumidores da Cemig no ano passado ficou bem abaixo da meta estipulada pela Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel. A Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC), que é a média do tempo que os consumidores ficaram sem energia ao longo do ano, foi de 10,77 horas em 2014, o melhor resultado apresentado pela Concessionária nos últimos dez anos.

Com isso, a Cemig subiu dez posições no ranking de qualidade do serviço das distribuidoras de energia da Aneel, passando da 17ª posição, em 2013, para o 7º posto da lista, no ano passado, dentre as 36 concessionárias de distribuição consideradas de grande porte. A avaliação é elaborada com base no Desempenho Global de Continuidade (DGC), formado a partir da comparação dos valores apurados do DEC e também do índice de Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC) das concessionárias em relação aos limites estabelecidos pela Aneel.

Segundo a Aneel, a Cemig foi a distribuidora que mais evoluiu no ranking desse ano, com um avanço de dez posições em comparação com o ano de 2013, sendo que o DEC da Cemig de 10,77 horas ficou mais de uma hora abaixo da meta estabelecida pela Aneel para 2014, de 11,92 horas. “O excelente resultado alcançado, em linha com os investimentos realizados nos últimos anos na melhoria do sistema elétrico, reflete o comprometimento da Empresa e dos seus empregados com o aprimoramento contínuo do atendimento aos seus clientes”, afirma o diretor de Distribuição e Comercialização da Cemig, Ricardo José Charbel.

O DEC é composto por duas parcelas, sendo que a primeira parcela está relacionada às interrupções acidentais, que são aquelas ocorridas em função de agentes externos e internos ao sistema elétrico, como fenômenos naturais (chuvas, raios, ventanias etc.), interferências do meio ambiente e operações emergenciais, que são, portanto, impossíveis de prever e, geralmente, ocasionam maior descontentamento do consumidor.

A outra parcela mede o tempo médio das interrupções programadas, necessárias para a realização de obras de melhoria e manutenções no sistema elétrico. Essas interrupções são previamente comunicadas ao consumidor pelos meios de comunicação ou correspondência individual, conforme determinação da Aneel, permitindo, assim, aos consumidores se prepararem antecipadamente.

“A queda no DEC total em 2014 é consequência da redução do DEC acidental, que foi de apenas 7,87 horas, representando uma redução de 11,5% em relação a 2013, quando foi de 8,88 horas”, sublinha Charbel.

O diretor destacou ainda o excelente resultado alcançado na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Na rede que atende a RMBH, a melhoria em 2014 foi de 13% na duração média das interrupções acidentais, se comparada com o resultado de 2013.

Frequência de interrupções
Outro indicador que também reflete a melhoria na qualidade do fornecimento é o indicador de Frequência Equivalente de Interrupção por Consumidor (FEC) acidental, responsável por medir o número de vezes que, em média, o cliente tem o fornecimento de energia interrompido por fatores imprevisíveis. O FEC do ano passado, de 5,58 vezes, em média, também representa o menor valor realizado pela Concessionária.

Investimentos
O resultado alcançado reflete os investimentos realizados pela Cemig, que, nos últimos cinco anos, totalizaram R$ 3,1 bilhões aplicados na melhoria e manutenção das redes, linhas e subestações de distribuição em todo o Estado.

Dentre as melhorias realizadas, destacam-se a construção de novas subestações, reforço e reforma de redes e linhas de distribuição e instalação de equipamentos para religação automática da rede em caso de defeitos, além da realização de manutenções preventivas.

Com o objetivo de reduzir o tempo de restabelecimento, no caso de uma falta de energia, o sistema elétrico da Cemig conta com 4.032 equipamentos telecontrolados, dos quais 919 estão na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Desse total, 3.569 foram instalados nos últimos cinco anos, o que representa 88% do total.

Evolução do DEC na área da Cemig de 2012 a 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário