terça-feira, 25 de agosto de 2015

Cemig já investiu 575 milhões, este ano, na rede elétrica



Valor corresponde a 45% do total previsto para melhorias e manutenção em 2015

A Cemig investiu R$ 575 milhões na expansão e melhoria das redes de distribuição de energia elétrica de Minas Gerais, só no primeiro semestre deste ano. Segundo o presidente da Companhia, Mauro Borges Lemos, esse valor corresponde a 46% do total previsto de R$ 1,24 bilhão para o atendimento aos 8 milhões de consumidores no primeiro ano de sua gestão. 

A expansão da rede de distribuição da Cemig possibilitou, até o momento, a instalação de 160 mil novas ligações nas zonas rural e urbana de Minas Gerais. O plano de investimentos viabilizou, também, a ampliação de sete subestações e a construção de mais de 1.500 quilômetros de redes de média e baixa tensão.

De acordo com Mauro Borges, a expansão de redes de alta tensão, no total de 140 quilômetros a mais no primeiro semestre, precisa ser feita de forma contínua para acelerar o desenvolvimento econômico do estado, não apenas para suprir o aumento da demanda por energia dos atuais clientes, mas também para permitir a abertura de novos negócios no território.

“A manutenção e a melhoria de nosso sistema de distribuição também é realizada ininterruptamente. Também estamos alterando o patamar tecnológico do sistema elétrico com investimentos em automação, que permitirão o restabelecimento automático e remoto do fornecimento de energia em caso de interrupções”, afirmou o presidente.

Durante a apresentação dos resultados trimestrais, realizada na última semana, a diretoria da Cemig ainda anunciou a compra de 15 subestações móveis, no valor total de R$ 60 milhões, equipamentos que contribuem na estabilização do sistema e no aumento de disponibilidade de energia para clientes finais.

“Se contabilizarmos também os investimentos em usinas e linhas de transmissão, estaremos falando de mais de R$ 2,5 bilhões apenas em 2015. A previsão é que cumpramos os prazos, já que R$ 1,1 bilhão desse total já foi gasto e grande parte das obras e aquisições estão prontas”, concluiu Mauro Borges.

Nenhum comentário:

Postar um comentário